24 maio 2004

Deus

Sabem, hoje eu abri minha caixa postal e vi que tinha recebido uma imagem muito bonita da Virgem Maria, pedindo que eu a repassasse porque ela era uma santa peregrina e que, portanto, sempre deve continuar suas viagens e nunca ficar parada no mesmo lugar. É claro que é um spam e eu não repasso spams. Mas com isto, comecei a refletir, mais uma vez, sobre a existência de Deus.
Eu fui criada em dois ambientes muito diferentes. Minha avó, por parte de mãe, era muito católica (não conheci meu avô) e, portanto, acreditava no poder da Virgem Maria e de todos os outros Santos. Meus avós por parte de pai são evangélicos da parte mais radical da Assembléia de Deus. Pra vocês terem uma idéia de tão radical que eles são, eles não têm televisão em casa e não admitem que ninguém leve uma para lá. Este foi sempre o motivo de eu, minha irmã e todos os meus primos detestarmos ir para lá todos os sábados, mas éramos obrigados. Quando chegávamos lá, não tínhamos absolutamente nada pra fazer, além de ficar olhando uns pras caras dos outros. O Natal então, sempre foi terrível, pois bebida, nem pensar...
Mas voltando ao assunto, apesar da criação e da confusão que as duas religiões criaram na minha cabeça, eu realmente nunca fui convencida da existência de Deus. Os cientistas dizem que Deus foi criado pelas pessoas para explicar as coisas que elas não entendem, como a criação do mundo, por exemplo. Os cientistas sabem como o mundo surgiu e portanto, não acreditam em Deus. Da mesma forma, foram criados o bicho-papão, o Saci Pererê, o ET de Varginha, etc.
Bom, por via das dúvidas, eu sempre fiz minhas orações, diretamente para Deus, pois se pra mim já é difícil acreditar no poder dele, imaginem no dos santos...
Sei que muita gente vai ficar chocada ao ler isto, mas é a verdade, só que eu nunca admiti em público que tenho dúvidas. Se ele existe, por que nunca faz o que peço em minhas orações? Muitos dirão: "Por que ele sabe o que é melhor pra você", mas eu não acho que tanta desilusão seja o melhor para mim... assim como não acho que passar tanta fome seja o melhor para a �frica, assim como não acho que passar por esta guerra seja o melhor para o povo árabe e nem que passar pela guerra civil seja o melhor para o Haiti... enfim, a lista é enorme.
A verdade é que, se ele existe, nós discordamos em muita coisa. A primeira coisa é, que idéia foi aquela de mandar o filho para passar por tamanho sofrimento "para nos redimir dos pecados"? Isto ajudou em quê? Mudou o quê? Absolutamente nada. E se ele realmente é o pai que ama seus filhos ele não poderia simplesmente perdoar sem ter que fazer Jesus passar por aquilo? Se a idéia era passar alguma lição para o mundo, não existiria outra forma?
Outro dia, na aula de Inglês, o assunto era paranormalidade. Discutíamos se acreditávamos ou não nisto. Eu não acredito em pessoas que entortam garfos ou que fazem objetos voarem. Também não acredito em pessoas que curam somente pelo toque das mãos, acredito sim em bons médicos. Em destino? Respondi que não. Acho que nossa vida depende das decisões que tomamos. É claro que existem fatores externos que influenciam, mas não passam de coincidências. Eu não acredito que minha vida já esteja escrita em algum livro desde antes de eu ter nascido e que eu nada possa mudar em relação à isto. Então me perguntaram se a Gabriela, aquela mocinha que morreu com uma bala perdida no metrô da Tijuca, tinha ESCOLHIDO morrer ali, daquela forma, Eu respondi "É CLARO QUE NÃO, FOI UMA COINCIDÊNCIA ELA ESTAR ALI, NA HORA ERRADA". Afinal, se Deus é este pai tão bondoso e destino existe, porque ele escreveria neste maldito livro que ela tinha que morrer ali, tão jovem e desta forma? As coisas sobre Deus são sempre contraditórias. Simplesmente não dá pra entender o que as pessoas falam. A verdade é que só acredito com plena certeza naquilo que vejo ou vivo. Por exemplo, acredito em premonição porque já vivi isso. Sei que realmente acontece, pois eu já tive quatro que aconteceram. Eu não sei explicar e também não vou ficar inventando coisas para explicar aquilo que não entendo. Não sei porque sonhei com estas coisas se eu nada poderia ter feito para mudá-las. Pra quê isto? Não gosto de falar muito deste assunto porque isto aconteceu quando eu era muito criança e me trazem lembranças realmente ruins. Todos na Igreja diziam "Isto é um dom de Deus, um presente" e eu dizia que ele podia pegar pegar o presente de volta porque eu não queria. Na verdade, eu não sabia o que fazer com aquilo e eu tinha muito medo. Eu não queria saber absolutamente nada sobre o futuro, apenas deixar as coisas acontecerem... aliás, acho que este foi o único pedido que ele atendeu. Nunca mais tive os tais sonhos...
Bom, o assunto é polêmico e renderia muitas páginas...
Vou parando por aqui pois agora tenho que fazer uma redação sobre "My eating habits", "handwritten, please". Meu professor insiste que eu entregue as redações escritas à mão ao invés de digitadas no computador. Já disse pra ele que sou uma analista de sistemas e que não sei fazer nada sem o computador, mas não adianta... ele diz que quando digitamos não memorizamos as palavras e quando escrevemos, sim. Desta forma, aprendemos mais. Bom, é a profissão dele, ele deve saber o que diz...  mas eu me sinto voltanto à era pré-histórica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário