29 junho 2004

Estou viva!






Oi, pessoal! Estou viva, hein? :-)
A última semana foi muito enrolada, como esta semana também promete ser. Aliás, as 2 próximas semanas... Por isso, não estranhem se eu sumir novamente.
Nossa, eu tava tão cansada que na terça passada eu acordei às 6:31, sendo que meu ônibus passa às 6:40. Não sei como até agora, mas consegui pegar este ônibus. Lá dentro, ainda meio dormindo e incrédula por ter conseguido, fiquei analisando minha roupa, vendo se não tinha nada errado, seu eu não tinha colocado o pé de uma meia e o outro de outra... mas por incrível que pareça tava tudo certinho.
No dia seguinte, acordei na hora, peguei o ônibus e literalmente apaguei. Acordei no ponto final do ônibus... fiquei imaginando porque o prédio da Vivo estava do lado errado. Todos os dias ele ficava do lado direito e naquele dia ele estava do lado esquerdo. Estranho, pensei. O que será que aconteceu? Só aí olhei pro resto do ônibus e vi que ele estava vazio e que o motor estava desligado. Saí correndo e o motorista tomou o maior susto quando me viu... ele pensava que não tinha mais ninguém. :-)
Agora todo dia ele fica tirando uma com a minha cara... :-)
No trabalho as coisas melhoraram. Consegui convencer minha chefe de que eu não tenho mais condições de trabalhar com o meu "colega". Ela tomou a decisão de não passar mais nenhuma atividade pra ele. Bom, terei que fazer tudo sozinha, e não é pouca coisa. Mas pelo menos não vou ficar passando raiva... Nem posso contar o que ele aprontou que me deixou p da vida... vai que ele acha meu blog e lê, né? :-)
No Inglês as coisas estão terríveis. O curso está muito difícil e a quantidade de Homework é enorme... eu estou tentando, mas está difícil de fazer tudo, sem tempo do jeito que estou. Nossa, tem muito vocabulário novo! Pelo menos consegui 15% de desconto na mensalidade que é bem cara.
Bom, que eu me lembre é só... até mais! :-)

PS.: Barbara, tentei deixar comentário no seu blog mas não consegui. Que lugar é este que você arrumou pra morar menina?! Você quer mesmo me matar de preocupação, né?
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário