20 maio 2005

Conheçam um pouquinho do lugar onde trabalho


O Globo
19/05/2005 - 11h14m
Bandidos roubam celular para vender em bocas-de-fumo

Leslie Leitão - Extra

RIO - Nas últimas semanas, mais de 30 casos de furtos de bolsas nas áreas do Estácio e do Rio Comprido foram registrados na 6ª DP (Cidade Nova). Os bandidos quase sempre atuam em motocicletas e têm as mulheres como alvo principal. A polícia, porém, descobriu que o objetivo era conseguir celulares, que estão sendo vendidos em bocas-de-fumo das favelas da região.
A idéia partiu de bandidos de uma determinada facção criminosa que controlam o tráfico em pelo menos oito favelas da área.
- Os bandidos já estão vendendo celulares e rádios na Fallet, no Fogueteiro, na Paula Ramos, na Mineira, na Chácara, nos Prazeres, no Turano e no Escondidinho. E apesar de não ser na nossa área, sabemos que também estão vendendo no Morro da Providência - afirma um inspetor da Polícia Civil.
Titular da 6ª DP, o delegado Ricardo Dias Teixeira explicou que, antes de colocarem os celulares roubados à venda, os bandidos aproveitam para fazer uso deles.
- Primeiro eles falam à vontade, enquanto aquele número não é bloqueado pelo dono do aparelho. Nisso eles fazem contato com presídios, negociam drogas, sempre sabendo que não estão grampeados - disse o delegado.
Segundo Ricardo Dias Teixeira, os bandidos vendem os aparelhos depois de serem bloqueados:
- Eles tiram o chip e colocam os aparelhos à venda. Quem compra precisa apenas de um novo chip.
Segundo os policiais, as favelas já fizeram, inclusive, uma pequena tabela de preços para os aparelhos. Um Nextel I830, o mais fino e que recentemente saiu de linha, por exemplo, é vendido a R$100. O mais moderno, com câmera, sai por R$300.
Sensação do momento, os celulares com foto também fazem sucesso nas favelas, sendo comercializados a R$200. Nos dois primeiros meses do ano, somente na área da 6ª DP, foram registrados 13 roubos de celulares. Para a polícia, no entanto, este número é bem maior, já que muitas vítimas nem chegam a dar queixa na polícia.
Um celular com câmera custa cerca de R$300 nas favelas!

Quando as pessoas desistirem de ter celular e isso começar a doer no bolso das operadoras, talvez elas resolvam tomar providências para evitar que celulares roubados sejam utilizados. Existe tecnologia para isso, o que falta é vontade de investir.
Detesto trabalhar aqui... :-(

Nenhum comentário:

Postar um comentário