25 julho 2006

É bom que já tá pertinho

Globo Online - Brasília a 40 km do inferno

Roberta Jansen, O Globo

RIO - Cientistas mediram pela primeira vez no Brasil a distância da superfície até o manto terrestre, camada fervente nas profundezas da Terra, um verdadeiro portal do inferno, onde a temperatura chega a 4 mil graus Celsius. O estudo inédito pode revelar segredos de 600 milhões de anos, indispensáveis para se compreender a formação da América do Sul. As medições, feitas ao longo de 500 quilômetros na região Centro-Oeste do país, revelaram que a espessura da crosta terrestre naquela área varia de 36 a 44 quilômetros.
? Em geral cartografamos o que está na superfície ? sustenta o geólogo Reinhardt Fuck, da Universidade de Brasília, um dos responsáveis pelo estudo. ? Mas para realmente entendermos como tais estruturas se formaram é preciso cartografar em três dimensões.
A área central do Brasil, mais precisamente no estado de Goiás e Distrito Federal, foi escolhida porque, segundo os cientistas, as informações disponíveis sobre a superfície indicavam formações geológicas interessantes. Os especialistas acreditam que está ali a raiz de uma cadeia de montanhas ao longo da qual foram se unindo massas continentais para a formação do que hoje é o Brasil. Tais massas teriam integrado o bloco de terra único, que posteriormente se separou para formar os atuais continentes.
? O mais importante não é saber a distância, mas conhecer a evolução, saber como se estrutura a região, saber a profundidade e a descontinuidade do limite entre crosta e manto ? aponta o geólogo José Eduardo Pereira Soares, também da UNB, que participou do estudo feito em parceria com a USP. ? Enfim, obter informações geológicas sobre a estruturação tectônica da região.
Tais medições são feitas corriqueiramente nos Estados Unidos e na Europa, mas essa é a primeira vez que é realizada no Brasil. Além do conhecimento científico decorrente dos estudos, essas análises são importantes, por exemplo, para que se determine ocorrências de reservas minerais eventualmente importantes para o país. E também para que se entenda melhor possíveis áreas de atividade sísmica mais intensa.
As empresas de petróleo fazem prospecções de solo, mas chegam, no máximo a 10 quilômetros de profundidade. Para análises mais profundas, é preciso usar métodos indiretos, como a refração sísmica profunda. Os cientistas provocam uma série de explosões controladas e medem, na verdade, o retorno das vibrações produzidas pelo sismo induzido.

É bom que quando chegar a hora destes políticos ladrões já está pertinho do inferno. Eles chegarão rapidinho. :-))))

2 comentários:

  1. Gostei da aula de geologia. Aprendi muito.

    Quantos aos polícos eu vou matá-los em outubro e espero ajuda de todos.

    Chris, um beijo.

    ResponderExcluir
  2. Será que eles vão achar as lendárias civilizações subterrâneas????

    ResponderExcluir