18 setembro 2006

Elevadores

Quando fui descer para almoçar, o elevador demorou, demorou e demorou tanto que resolvi pegá-lo para subir e depois descer porque ele sempre passava cheio na descida. Acho que todo mundo teve a mesma idéia que eu pois o elevador lotou na subida e todo mundo queria, na verdade, descer. Até que no 14º andar uma mulher bem gorda e um rapaz empurraram todo mundo e entraram a força no elevador, mesmo sob os protestos da Marcela, a ascensorista.
Resultado: o elevador desceu direto para o fosso! Todos se desesperaram e começaram a falar para a Marcela pedir ajuda pelo interfone. Ela hesitou até que soltou: "O interfone está com problema e não está ligando". A mulher grávida que estava no fundo do elevador começou a chorar... perguntei: "Quer o meu celular?" e ela "Vamos tentar, mas aqui em baixo não dá sinal". Com muito sacrifício consegui pegar o celular, pois o elevador estava tão cheio a ponto de eu não conseguir me mexer. Não tinha mesmo sinal. Todos pegaram seus celulares mas nenhum funcionava.
A grávida já começou a falar, tentando demonstrar calma, mas com voz de choro: "Eu quero sair, por favor" e a ascensorista com voz de choro "Calma, gente. Vai dar tudo certo. Não adianta se desesperar". Foi quando eu realmente me desesperei... pois se ela estava nervosa, o caso era mesmo grave. Nunca vi a Marcela desesperada, nem mesmo quando ela fez escova progressiva e sua linda cabeleira preta que ia até a cintura caiu quase toda e o que sobrou ficou parecendo uma palha de aço podre.
Ela disse que ia tentar subir no manual e apertou um botão. O elevador subiu e marcou o segundo andar. Neste momento o interfone tocou. Os seguranças haviam percebido que tinha algo de errado, já que o único elevador que estava funcionando estava demorando muito a chegar no térreo. Mas aí a gente nem precisava mais deles porque o pessoal já estava abrindo a porta a força enquanto a grávida falava: "Eu quero descer, eu quero descer".
Perdi o apetite...

6 comentários:

  1. Credo, Chris, que situação...
    Deve dar um pânico, uma claustrofobia! Ainda bem que acabou tudo bem. Ufa.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Ah, Chris, eu leio toda semana a programação na Veja Rio. Aí seleciono as exposições/peças/filmes que me interessam e escolho um dia bom para poder fazer essas coisas.

    É verdade, não fui comer os cookies. Nesse dia estava correndo tanto pra poder dar tempo de tudo, que acabei não indo. Comi qualquer bobagem lá em Ipanema mesmo e voltei logo. Mas esses cookies estão nos meus sonhos gastronômicos. Eu vou. :-)

    E, quando tiver um tempinho, dê um pulinho lá no Museu Histórico Nacional. Tem muita coisa bacana pra ver!
    Beijão, Chris.

    ResponderExcluir
  3. Chris, fala pra Marcela aprender a abrir a porta do elevador no manual. Isso, o pessoal que faz a manutenção dos elevadores, pode ensiná-la.
    Bem, não vai ficar com medo de elevadores! (rs*)
    Beijus

    ResponderExcluir
  4. Nossa, Chris, se fosse minha irmã tinha morrido do coração, rs* [ela tem fobia de elevadores]...

    Que bom que tudo se resolveu.

    beijos e boa semana,

    MM

    ResponderExcluir
  5. e isso que dar ..entrar gente demais no local que tem limite...tomara que seu dia hoje seja melhor

    ResponderExcluir