16 setembro 2007

¿Quién dice que es fácil?

QuienDiceQueEsFacil Outro dia assistimos a "¿Quién dice que es fácil?" que estava em cartaz nos cinemas quando chegamos aqui e que saiu em dvd há pouco tempo. É daqueles romances água com açúcar, mas um pouco mais interessante que o normal. Vale a pena ver.
É a história de Aldo, um homem obcecado pela ordem, por horários e pela limpeza que aluga um apartamento para uma fotógrafa totalmente pirada, chamada Andréa, que é cheia de amigos drogados, gays e lésbicas, que está grávida e não tem a menor idéia de quem é o pai do bebê. Eles acabam se apaixonando e, óbvio, acabam enfrentando muitos problemas por causa das enormes diferenças existentes entre eles. A questão é: será que somos capazes de amar uma pessoa sem querer que ela mude? Será que o amor pode vencer as diferenças?
Assista o filme para descobrir.
Andréa é interpretada pela atriz Carolina Peleritti e Aldo, por Diego Peretti. Esses sobrenomes quase iguais deixam a gente confuso, né? :-))) Diego Peretti é outro ator que aparece muito nos filmes argentinos e ele é bom mesmo, mas quando olho pra ele, só consigo enxergar um nariz! Coitado! :-)))))
A direção é de Juan Taratuto, um diretor que ainda fez poucos filmes de longa metragem, mas que promete bastante.

Technorati Tags: ,

10 comentários:

  1. Chris eu já desisti de tentar mudar as pessoas. Eu estou mudando. Mas o incrível é como as pessoas totalmente diferentes se atraem. Antigamente dava para levar "até que a morte nos separe". Agora a coisa está diferente.

    ResponderExcluir
  2. Grato pela visita, ai em Buenos Aires só tem massa e abacate feio, em compensação tem Praça de Maio e Casa Rosada. rsrsrsrsrsrs Breve irei ver o DVD que vc se refere.
    Ismael Cirilo

    ResponderExcluir
  3. é preciso muita maturidade para conseguir isso, mas é possível, sim, bonita :o)

    seja como for, vou lembrar de assistir quando for a locadora.

    beijos e boa semana,

    MM.

    ResponderExcluir
  4. Nice e Mônica, acho que o segredo está em amar a pessoa como ela é e não como a gente gostaria que ela fosse. Ninguém é perfeito, nem mesmo nós, então porque o parceiro tem que ser?
    Soié, eu troco a Praça de Maio e a Casa Rosada pelo seu quintal! ;-)

    ResponderExcluir
  5. Chris, a parte mais dificil do ser humano é aceitar o outro como ele é sem querer mudá-lo.
    Big Beijos!

    ResponderExcluir
  6. É difícil mesmo. Mas eu ainda acho mais fácil do que ficar brigando pra que ele mude. :-)))

    ResponderExcluir
  7. Chris, tenho uma implicância com filme latino, só vejo no máximo Almodovar, e olhe lá !
    Acho um saco a língua espanhola, me dá arrepios - associo aos argentinos que vêm à Copacabana - super cafonas, com mullets, aqueles cabelos compridinhos na nuca e colares bicho-grilo, além de serem geralmente péssimamente mal-educados.
    Preciso ir um dia à Argentina pra acabar com essa má impressão - só espero que não me venham com aquela cafagestada de chamar os brasileiros de macaquitos.
    Que esculhambação !

    Bjs!

    ResponderExcluir
  8. Nossa, Jôka! Que impressão péssima dos argentinos vc tem!
    No geral, eles são super gente boa e gostam muito dos brasileiros (desde que não se discuta futebol). :-))) Eu acho que eles se vestem com elegância, talvez seja pelo clima frio, que exige casacos, cachecóis, luvas, etc. Claro que existem exceções... meias de lã listradas coloridas verde com preto até as coxas, com vestido vermelho por cima é uma coisa bastante possível de se ver aqui. Nunca vi nenhum usando colar bicho-grilo, mas já vi com cabelo roxo e vermelho. Aliás, os cortes de cabelo realmente são um caso à parte... e o pior é que os atores do Harry Potter aderiram à moda, vc já percebeu? :-)))
    Olha, Jôka, também nunca ouvi falar que argentino chama brasileiro de macaco... aliás, quem faz isso são os americanos. Me contaram que, qdo saiu aquele episódio dos Simpsons no Rio (Simpsons fazem um super sucesso aqui) onde o Brasil era uma selva cheia de macacos, etc... eles ficaram bem chocados e se solidarizaram com o Brasil.
    Quanto ao espanhol, não acho um saco não. Se bem que o daqui da argentina irrita um pouco porque, ainda por cima, é diferente dos outros lugares. ll aqui tem som de j, rr tem que falar como o Galvão fala Rrrrrrooonaldinho aí, etc. Estou aprendendo o daqui mas sei que depois vou ter que aprender o da espanha.
    Qdo vc vier à Argentina, com certeza, a sua impressão sobre eles vai mudar.
    Bom, o atendimento nas lojas e restaurantes costuma ser péssimo, os vendedores e garçons são mal-educados e atrapalhados. Mas tirando isso, os argentinos são gente boa sim. ;-)

    ResponderExcluir
  9. Essa coisa de mudar pessoas é bem complicado e esta dose de diferenças que eles tratam no filme, bem que pode ser uma provocação que pequenas mudanças são possíveis... vou assistir e conferir. Adorei a dica. Beijos!!!

    ResponderExcluir
  10. Eu ia falar uma coisa, Márcio. Mas me toquei de que eu estragaria o final do filme. :-))))

    ResponderExcluir