16 março 2009

De volta ao médico…

image
Eu já comentei com vocês como é o esquema de acompanhamento dos bebês aqui?
A gente tem que ir ao posto de saúde da comunidade onde a gente mora e o acompanhamento é feito por uma enfermeira responsável e, em algumas ocasiões ou quando o bebê tem algo mais sério, ele é encaminhado ao pediatra. A família tem um médico de família, que faz o acompanhamento de todos.
Pelo menos foi o que entendi até agora. :-))))
Como na última consulta a gente comentou com a enfermeira que a Júlia tinha um sopro no coração, que segundo o médico na Argentina tinha falado, deveria fechar sozinho, mas que a gente tinha que checar quando ela completasse 6 meses, ela fez o encaminhamento para o pediatra. Fomos hoje, mas ela explicou que não vai ser sempre ela, que cada vez é um pediatra diferente, o que ela não sabe se funciona bem. Se ela não sabe, eu tenho quase certeza. Não gostei muito não… mas fazer o quê, né? :-) Ela explicou que quem deve acompanhar o caso é o médico de família, no nosso caso, uma médica. Não lembro o nome dela pois os nomes aqui são muito complicados. :-)))) A pediatra disse que não ouviu nada, que parece que está tudo bem, mas que ela iria ligar pra médica de família para saber o que ela achava melhor fazer…
Uma coisa que aconteceu e que me deixou impressionada é que a gente chegou lá e na ficha da Júlia tinha um monte de observações quanto às vacinas e que ela deveria tomar 3. Lembram que eu disse que aqui tinha menos vacinas e que, conforme o calendário daqui, a Júlia só iria tomar com 1 ano agora? Pois é… eles estudaram o calendário de vacinas da Argentina e viram que era melhor ela tomar algumas. Uma o governo dava e as outras a gente vai comprar para eles aplicarem. Vocês conseguem imaginar isso acontecendo no Brasil ou na Argentina? Nunquinha que se iam dar ao trabalho de estudar o calendário de outro país. Iam falar que não precisava e pronto. :-))))

A Júlia pesou 8.240 Kg e mediu 69,5 cm.

3 comentários:

  1. Chris, o sistema é exatamente como na Bélgica. Procure o médico da família, explique o caso e se for necessário ele vai encaminhá-la ao especialista (cardiologista, no caso) que geralmente é num bom hospital. O sistema (pelo menos na Bélgica)funciona super bem.

    Acredito tb que a partir dos 6 meses as consultas deixam de ser mensais.

    Creio que o melhor a fazer é sempre que vc sentir que ela tá com alguma coisa, a leve ao médico da família, pois ele poderá acompanhar sempre. Sempre usei o posto só pra medir e pesar mesmo.

    Bjocas a Julia ta uma meninona ja !

    ResponderExcluir
  2. Que bom que aí a coisa funciona. Parabéns pela Júlia. Meu marido diz que tudo tem seu peso e sua medida. Ganha-se na organização, perde-se na saudade. Vá tirando todos os proveitos desta permanência aí e aprenda o máximo. Beijinhos na Júlia.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Dani! Obrigada! Agora estou entendendo como funciona. :-))) Gabs também tá lindo e enorme! Um rapazinho! Beijo!
    ------------------------
    Nice, pode deixar! :-))) Bjo!

    ResponderExcluir