26 outubro 2010

Ainda o desfralde

Quem acompanha este blog sabe que desde fevereiro estou sofrendo com o desfralde da Ju. Primeiro, ela decidiu sozinha que não queria mais fralda, depois, quando ficou doente, teve uma recaída (ficou traumatizada na verdade) e agora, no final de setembro, ela começou novamente a demonstrar que quer deixar as fraldas. Eu vinha tentando não forçá-la, com medo de outro trauma, e continuava com as fraldas e, quando ela pedia, a colocava no troninho, mas notei que não estávamos tendo nenhum progresso e até eu ficava perdida, pois com ela usando fraldas, eu nunca sabia quando ela estava com vontade, se tinha feito ou não e nem podia saber direito os horários dela. Então decidi que era hora de tentar uma maneira melhor e que nos levasse um pouquinho que fosse mais adiante.
Comprei uns adesivos do Mickey (ela adora o Mickey, ainda mais depois que conheceu a Disney) e expliquei que cada vez que ela fizesse xixi, ela ganharia um, e que cada vez que ela fizesse cocô, ela ganharia dois, e que ela poderia escolher qual ela queria. Então, por três dias, foi um sucesso total. Ela anunciava que queria fazer xixi, íamos pro piniquinho, demorava um pouco, mas ela fazia e ficava toda feliz com o adesivo que ganhava depois. O cocô estava difícil, pois, geralmente, quando ela fala “cocô” é porque ela já fez ou se ela fala “ôôu”, é porque já fez mesmo. Eu já estava quase dando o desfralde como sucesso, quando o pai viajou de novo! Voltamos à estaca zero. Ela regrediu totalmente! Há dois dias que ela não avisa mais que quer fazer xixi e quando o faz, se recusa terminantemente a se sentar no pinico e faz birras horríveis porque quer um adesivo.
Ela se senta no chão, na escadinha que ela usa pra alcançar a pia, no step que ela usa pra subir no vaso, em qualquer lugar, menos no pinico, e também se recusa a tirar a calcinha.
Hoje perdi a paciência, ela disse que queria fazer xixi, a levei ao banheiro, ela se recusou a sentar e eu falei que se ela fizesse na roupa ela ficaria de castigo porque ela sabia que estava com vontade e mesmo assim, não queria sentar no piniquinho, que ela já era grande e tal, blá, blá, blá… ela fez na roupa e ficou de castigo. Sei que eu não deveria puní-la, cansei de ler isso. Mas me irritou muito o fato dela saber que iria fazer xixi e se recusar a tirar a roupa e a sentar no pinico. A fiz limpar o chão também (essa parte ela gosta, nunca vi gostar de fazer faxina que nem ela) e a trocar a roupa sozinha (quase, porque acabei ajudando).
Olha, gente… tudo com a Jú foi sempre relativamente fácil. Ela se desmamou sozinha, começou a comer comida sólida super fácil, foi dormir no quarto dela… agora, o desfralde tem sido muito difícil. Me dá até desespero.

3 comentários:

  1. Chris, a Júlia passará por fases agora que completou dois anos, novas para ela. Antes ela era o bebê. A primeira infância foi embora! Agora percebe que é alguém, tem nome próprio e uma certa noção de propriedade, mas ainda não sabe comunicar todos os seus sentimentos, desejos e interesses. Terá dificuldades para se controlar, chora e ri facilmente e terá frequentes ataques de gênio e algumas malcriações. Poderá te dizer "eu não gosto de você" ou "vá embora" e se arrepender no minuto seguinte.

    ResponderExcluir
  2. O controle das evacuações depende mais do desenvolvimento dos centros sensoriais, do cérebro e da capacidade muscular, do que dos métodos de disciplina. Isto é muito importante você saber para não gerar frustrações na Júlia.
    Os pais não devem ter pressa ou severidade com o treinamento; às vezes, é possível perceber que ela está com vontade e correr com ela para o banheiro, às vezes não dá tempo e trocar a fralda por calcinhas intermediárias, mais fáceis de tirar e colocar, fará ela se sentir "promovida" e incentivada a usar o troninho. Sou a favor da troca de felicidade, beijus e abraços, ao invés de presentes.
    Ela vai evacuar a qualquer momento, sem aviso prévio até mais ou menos os 2 anos e meio. O controle da urina é mais tardio do que a evacuação, geralmente aos 3 anos. Você pode treinar junto com ela. Se ela não quiser usar o troninho, dê a opção de usar o vaso sanitário, como você usa, pode seguir o exemplo. Tente colocar na rotina, tipo: ao acordar, após as refeições e antes de deitar. Ela não precisa manifestar vontade, faça um convite: "Vamos sentar no troninho?"
    Nunca forçar se não quiser - ela te vê ir ao banheiro?
    Em casa, eu coloquei revistas em quadrinhos no banheiro e o troninho passou a ter nova conotação. Mas não deixe a Júlia por mais de 10 minutos no troninho sem que tenha feito alguma coisa.
    Paciência, mãe!! Cada criança tem sua hora! Beijus,

    ResponderExcluir
  3. Luma, tudo isso que você falou eu já fiz. :-))) Apelei para os adesivos pois somente os elogios não estavam dando certo. Agora que o pai voltou de viagem, ela está usando o troninho de novo, às vezes o vaso com o redutor de assento, e às vezes faz. Eu já notei que ela tem um certo controle sim, ela sabe "segurar" quando quer, é claro que não por muito tempo. Aí escapa tudo. Eu sou uma pessoa paciente, mas quando ela sabia que queria fazer xixi e se recusou a sentar no penico mesmo assim, ela me irritou, pois ela sabia que iria fazer xixi, mas entendo que ela estava carente e com saudades do pai. Estou levando... uma hora a gente chega lá. :-) Bjs!

    ResponderExcluir