11 outubro 2010

Um homem estranho fotografando minha filha?!

Eu já estou com o post sobre o terceiro dia da viagem praticamente pronto, mas como está todo mundo viajando, curtindo o feriadão no Brasil, eu vou deixar este post para depois e falar de uma coisa que aconteceu no nosso primeiro dia em Paris, quando estávamos na fila para subir na Torre Eiffel. Eu estava na frente do carrinho, para a Ju ver alguém conhecido e não se assustar, enquanto o Sandro estava atrás, empurrando o carrinho. Eu me distraí um pouquinho, tentando entender os preços e se poderíamos subir com o carrinho até o último andar e, quando me virei para trás, para ver a Ju, tinha um homem com uma câmera na cara da minha filha, pronto pra tirar uma foto. Ela com cara de P da vida, fazendo cara feia e olhando pra baixo. Nem pensei, enfiei a mão na frente da câmera e disse “What are you doing?! No!” e o homem se afastou, notei que ele ficou meio assustado com a minha reação, mas eu fiquei muito p#ta! Chamei o meu marido, que estava mais que distraído, contei o ocorrido e ele, muito mais viajado do que eu, me explicou que em algumas culturas isto é normal, eles gostam de tirar fotos de crianças porque as acham bonitas, diferentes e tal. Só que eu estava com tanta raiva que só disse que no mínimo, ele tinha que ter pedido autorização.
Gente, um homem desconhecido tirando uma foto assim da minha filha, eu fiquei com medo até de pedofilia. Sei lá, né? Tem tanto pervertido neste mundo… Mas quando olhei melhor, vi que o homem estava acompanhado da esposa e que eles até pareciam um casal simpático. Pareciam indianos ou algo assim. Acabei ficando com pena… mas ainda acho que ele podia ter perguntado, né?
Vejam bem, não sou paranóica. Vocês sabem que sempre evito filmar ou fotografar outras crianças pois não sei o que os pais achariam de eu usar a foto ou vídeo aqui no blog, mas já aconteceu de outras pessoas fotografarem a Ju em situações diferentes. Por exemplo, outro dia na creche, um senhor tirou uma foto dela brincando com a neta dele e não me importei. Foi uma situação completamente diferente.
Vocês acham que eu exagerei?! Como vocês reagiriam no meu lugar?

7 comentários:

  1. É um pouco estranho mesmo, não custava perguntar antes, né?

    ResponderExcluir
  2. ah eu também faria a mesma coisa...td bem que nós temos que "entender" as outras culturas, mas pq os outros tb nãp podem pensar o mesmo ne? acho que educaçao e cautela quando se diz respeito as crianças nunca é demais, acho q mesmo q ele tivesse pedido eu ia me esquivar dando um jeitinho...sei não, sou bem desconfiada e sabe como é, mexer com filho é problema....é cutucar a onça mãe sem vara nenhuma, e tb acho que a situaçao da ju na escola é totalmente diferente...sem nem um pingo de maldade, ja na rua a história é diferente! não gosto muito qdo ficam pegando na mão do meu filho, logico q cada casa é um caso, mas um marmanjo é dose, sei la o pequeno coloca a mão na boca toda hora e depois das pesquisas falando q muitas pessoas vão ao banheiro e não lavam as mãos .... ECAAAA
    mas nao da pra ser mal educada por isso, depois lava a mão ou passa um lenço, alccol sei la...é eu so mesmo paranóica kkkkkkkk
    adoro o blog e a ju é linda mesmo (merece a foto)
    bjo gande

    ResponderExcluir
  3. nem sei como reagiria, só na hora mesmo pra saber.

    /(,")\\
    ./_\\. Beijossssssssss
    _| |_................

    ResponderExcluir
  4. Estou contigo! A pessoa deveria pedir autorização antes, não custa nada! Beijus,

    ResponderExcluir
  5. Van, pois é... crianca é uma coisa delicada, né? Não se pode sair por aí fotografando sem pensar nas mães...

    -----------------------------------------
    Michirica, eu também detesto quando ficam pegano na mão da Ju. Só tenho este problema no Brasil, sabia? O povo aí não pensa e acha que pode sair pegando, abracando, beijando... Uma vez eu estava no banheiro do aeroporto de Brasília, trocando a roupa da Ju porque ela tinha vomitado, e uma mulher que estava lá do nada comecou a abracar a Ju, dizendo que ela era linda e tal. Eu joguei um olhar daqueles pra mulher. Sabe daqueles que só faltam matar? :-))) A Ju também faz isso agora, acho que aprendeu comigo. Lanca um olhar de ódio pra cima da pessoa. Heheh. Só que com ela, as pessoas acham bonitinho. Mas a mulher nao tinha desconfiometro e aí eu pedi licensa, me enfiei no meio, terminei de vestir a Ju e saí. Na Argentina as pessoas respeitavam, algumas até queriam fazer um carinho, mas sempre pediam primeiro e nunca era nas maos, sempre na cabecinha. Aqui na Finlandia, de jeito nenhum, respeitam muito o espaco das pessoas. Só no Brasil mesmo é que tenho este problema. Bjs!
    -----------------------------------------
    Micha, quando você for mãe, você vai entender.

    -----------------------------------------
    Luma, assim como eu penso nas outras culturas e tento entender, os outros deveriam fazer o mesmo, né? Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Olá. Sou fotografo e já estive do outro lado e no momento em que vi uma cena imperdível, fotografei sem perguntar. Mas para isso tem que ter muito critério, primeiro, a cena tem de justificar muito, tipo, uma criança segurando uma borboleta ou um beija-flor. Segundo, os pais e outras pessoas devem estar por perto compartilhando a cena - Se estiver só fotografo e fotografado, esqueça, isso alias vale também para fotos em estudio ou com modelos contratados. Terceiro, a criança não deve ser incomodada com a foto (Não só a criança como todos os envolvidos) e por último, após a foto um cartão de apresentação e a promessa de enviar uma cópia da foto sempre cai bem !

    Judicialmente não é crime fotografar ninguem que esteja em público e que não esteja em situação comprometedora, a veiculação desta foto já pode ser questionada judicialmente, por exemplo se for usada em sites ou até mesmo se for vendida.

    No seu caso, mesmo que o fotografo não tenha tido más intenções, ele foi contra tudo que se deve fazer em foto de rua. E até acredito que ele não tenha tido má inteção mesmo, os que as tem em geral usam equipamentos para fotos a distância, usam equipamentos minusculos e discretos e não se aproximam.

    Acredito que seu filho foi vitima de um fotografo trapalhão apenas.

    Hj tá dificil fazer foto de rua por conta dos picaretas (pessoas que colocam fotos na Internet ou que tiram fotos e depois cobram por elas). Eu estava fazendo fotos de um evento de ciclismo e vi uma moça vindo de bicicleta. Pensei que ela era do evento e fui fotografando ela se aproximando. Ela não era do evento e ficou muito brava !

    Outra vez eu estava numa galeria de lojas e um senhor fotografou minha filha, minutos depois ele apareceu com um chaveiro com a foto dela me oferecendo por tantos reais ! Também eticamente muito feio, mas muito comum, principalmente em cidades turisticas !

    ResponderExcluir
  7. Oi, Samuel! Concordo com tudo o que você disse. Se fosse uma cena imperdível, como você disse, eu não teria ficado irritada e até pediria uma cópia da foto. :-))) Mas não foi o caso. Estávamos na fila, minha filha estava no carrinho e escondendo o rosto porque estava brava com o homem. Ele estava com o braco esticado, colocando a camera bem na carinha dela... era capaz de nem conseguir foco de tão perto que estava. Por isso me chateei, porque ele estava incomodando a minha filha.

    ResponderExcluir